"Colo" + "Setembro a Vida Inteira"

"Colo" + "Setembro a Vida Inteira"

Estreiam a 15 de março

  • Teresa Villaverde, realizadora
     Teresa Villaverde, realizadora
  • Ana Sofia Fonseca, realizadora
     Ana Sofia Fonseca, realizadora
  • "Colo" de Teresa Villaverde
     "Colo" de Teresa Villaverde
  • "Colo" de Teresa Villaverde
     "Colo" de Teresa Villaverde
  • "Setembro a Vida Inteira" de Ana Sofia Fonseca
     "Setembro a Vida Inteira" de Ana Sofia Fonseca
  • "Setembro a Vida Inteira" de Ana Sofia Fonseca
     "Setembro a Vida Inteira" de Ana Sofia Fonseca

A longa-metragem de ficção Colo, de Teresa Villaverde, e o documentário Setembro a Vida Inteira, de Ana Sofia Fonseca, são os filmes portugueses que chegam às salas no dia 15 de março.

Teresa Villaverde aborda a crise económica que assolou Portugal, em Colo, o seu mais recente trabalho. O filme marcou presença em vários festivais como o Indie Lisboa, o Festival Internacional de Berlim, ou o festival suíço Bildrausche onde arrecadou o grande prémio Bildrausch Ring of Cinema Art . A obra centra-se numa família: um pai desempregado, uma mãe com dois empregos e uma filha adolescente. A pressão do dia-a-dia, os problemas e contrariedades levam ao afastamento dos protagonistas. A solidão, a crise e o isolamento são assinaladas nesta obra, que reflete a realidade das sociedades europeias de hoje. Segundo a realizadora, o silêncio tem grande importância na narrativa. O que não é dito, o que fica por dizer assume um enorme peso. Beatriz Batarda, João Pedro Vaz e Alice Albergaria Borges, são os protagonistas desta história. A realizadora conversou com Agenda sobre este novo filme e sobre as inquietações que transmite:

  • "Depois de um ano de apresentações em cerca de duas dezenas de países, mostramos o filme Colo no lugar onde o fizemos e pensámos, e vai ser mais importante, por isso, mostrá-lo aqui. Serão as famílias de classe média portuguesa tão diferentes de outras famílias de outros lugares?
  • Será que as crises familiares provocadas pela falta de trabalho, não vinham já de trás, e será que já desapareceram? Será que a geração que acaba agora o ensino obrigatório tem coisas a ensinar aos mais velhos? Será que nasceram num mundo diferente do dos seus pais? Este filme fala de uma família que tentou, mas que não se conseguiu manter unida perante as dificuldades. É um filme que se pode ver em família, os filhos podem levar os pais, os pais os filhos, os avós. É um filme para lançar conversas e que não se fecha em si mesmo."

O filme estreia no Cinema Ideal e no Cinema Monumental.
.............................................................................................................
Ana Sofia Fonseca é jornalista, já colaborou com diversas revistas e na estação de televisão SIC, assina programas como Histórias Com Gente Dentro, O Meu Pequeno Mundo e várias reportagens. É também uma apaixonada por histórias de vida, neste sentido Setembro a Vida Inteira é a sua mais recente aventura, um documentário sobre o mundo do vinho português  onde as histórias do universo vinícola são passaporte para conhecer melhor a identidade cultural de um povo e do próprio país. O filme conta com a participação de Jorge Palma, que aceitou re-interpretar, em exclusivo para o documentário, o fado Oiça lá ó senhor vinho. Falámos com a realizadora e ficámos a saber como nasceu este projeto:

  • "Setembro a Vida Inteira nasceu há 15 anos, num sótão povoado de memórias e teias de aranha. Um fio de luz num rosto de mulher: “Olhe para isto! Até a retrete da Ferreirinha aqui está!”. De novo o silêncio, passos por entre vestidos, bonecas. A adega ali ao lado. Andava então no encalço de histórias para um livro sobre o Barca Velha, o mais mítico vinho português. A imagem daquela mulher, emoldurada por memórias, fundeou-se-me no pensamento: “Alguém devia filmar isto”. Estava ainda longe de imaginar quantas voltas cabem em 15 anos, mas já certa de que o vinho dava um filme.
  • Este é um documentário sobre um mundo de paixão. De homens e de mulheres que contam a vida pelas vindimas. Um convite à reflexão sobre a natureza humana, a relação entre quem tem a terra e quem a trabalha. Com uma linguagem cinematográfica e intimista, faz das vidas do vinho passaporte para descobrir um universo que se senta à mesa connosco e que não conhecemos. Porque o vinho também se faz de gente."

O filme estreia no Cinema City Alvalade.

[textos de Ana Figueiredo | fotografias das realizadoras: Humberto Mouco/CML-ACL]

Formulário de procura