A Gorda

A Gorda

Romance Isabela Figueiredo

Editora: Editorial Caminho
Data:

Isabela Figueiredo adverte no início de A Gorda: “todas as personagens, geografias e situações descritas nesta narrativa são mera ficção e pura realidade”. Apetece, por isso, perguntar acerca deste livro: onde começa a ficção e acaba a autobiografia? Maria Luísa, a narradora, é gorda e o corpo define a sua identidade ao longo da obra (“penso como gorda”). Identidade para a qual contribuem também a consciência de retornada e de suburbana, numa procura constante de equilíbrio entre o saudosismo colonial da família e a vocação de esquerda proletária da margem sul. Estas características marcantes não inibem, porém, uma força de carácter que não esmorece, à qual não é alheia a fina ironia, e que lhe permite, apesar de todas as contrariedades, tomar para si a quota de prazer que a vida lhe concede. A autora não inclui Leonard Cohen na lista da “epígrafe sonora” desta obra. Mas podia bem lá estar. Basta lembrar os versos: “And clenching your fist for the ones like us / Who are oppressed by the figures of beauty”.

285 páginas

Formulário de procura

Concurso Sardinhas Festas de Lisboa

Livros

MELANCOLIA E ARQUITECTURA EM ALDO ROSSI

Artes

Do Teatro das Trinas ao Cine-Esperança

Estudos
José Silva Carvalho

Voss

Romance
Patrick White

Há Classes Sociais

Infanto-Juvenil
Equipo Plantel

O Coração é o Último a Morrer

Romance
Margaret Atwood

FICAR NA CAMA E OUTROS ENSAIOS

Ensaios
G. K. CHESTERTON

Bandolim

Poesia
Adília Lopes

TEORIA KING KONG

Estudos
VIRGINIE DESPENTES

Paris França

Outros
Gertrude Stein

Manual de Cardiologia

Poesia
Fernando Pinto do Amaral

Mary John

Infanto-Juvenil
Ana Pessoa

A Minha Cidade É Feita de Luz

Infanto-Juvenil
José Fanha