A Gorda

A Gorda

Romance Isabela Figueiredo

Editora: Editorial Caminho
Data:

Isabela Figueiredo adverte no início de A Gorda: “todas as personagens, geografias e situações descritas nesta narrativa são mera ficção e pura realidade”. Apetece, por isso, perguntar acerca deste livro: onde começa a ficção e acaba a autobiografia? Maria Luísa, a narradora, é gorda e o corpo define a sua identidade ao longo da obra (“penso como gorda”). Identidade para a qual contribuem também a consciência de retornada e de suburbana, numa procura constante de equilíbrio entre o saudosismo colonial da família e a vocação de esquerda proletária da margem sul. Estas características marcantes não inibem, porém, uma força de carácter que não esmorece, à qual não é alheia a fina ironia, e que lhe permite, apesar de todas as contrariedades, tomar para si a quota de prazer que a vida lhe concede. A autora não inclui Leonard Cohen na lista da “epígrafe sonora” desta obra. Mas podia bem lá estar. Basta lembrar os versos: “And clenching your fist for the ones like us / Who are oppressed by the figures of beauty”.

285 páginas

Formulário de procura

OP'17

Livros

A História do Mundo para Pessoas com Pressa

Outros
Emma Marriott

O Signo

Ensaios
Umberto Eco

Dentes de Rato

Infanto-Juvenil
Agustina Bessa-Luís

Esta Noite Sonhei com Brueghel

Romance
Fernanda Botelho

Poemas

Poesia
Mário de Sá-Carneiro

Fernão de Magalhães

Outros
Stefan Zweig

As Mil e uma Noites

Romance

Forte como a Morte

Romance
Guy de Maupassant

A Conquista do Inútil

Artes
Werner Herzog

Dicionário Sentimental do Adultério

Outros
Filipa Melo

Poesis

Poesia
Maria Teresa Horta

Diante do tempo

Ensaios
Georges Didi-Huberman .