Divas da Noite

Divas da Noite

A arte do transformismo em Lisboa

  • As divas do Finalmente
     As divas do Finalmente
  • Deborah Krystall
     Deborah Krystall
  • Stefani Duvet
     Stefani Duvet
  • Samantha Rox
     Samantha Rox
  • Jenny Larrue
     Jenny Larrue
  • Nyma Charlles
     Nyma Charlles
  • As divas do Trumps
     As divas do Trumps
  • Lexa
     Lexa
  • Becca Bunny
     Becca Bunny
  • Filha da Mãe
     Filha da Mãe

Oito divas da noite lisboeta posaram para a edição de janeiro da Agenda Cultural de Lisboa e lançaram o repto para começar bem o ano: passe pelas discotecas Finalmente e Trumps... e divirta-se!

Ao longo de décadas, o transformismo tem travado uma dura batalha pelo reconhecimento como arte, buscando dissociar-se de estigmas e preconceitos. Sintomático, o fenómeno drag está, mais do que nunca, na moda, como se vai percebendo pelo sucesso planetário de artistas como o norte-americano RuPaul ou, mais recentemente, o brasileiro Pabllo Vittar. Em Lisboa, uma nova geração convive com nomes históricos do transformismo ainda em atividade. O epicentro criativo são as discotecas Finalmente e Trumps, onde noite após noite acontecem espetáculos repletos de música, brilho, glamour e, também, bastante humor. Com rigor e preceito, eles transformaram-se em elas, e eis-nos perante oito divas da noite lisboeta que aceitaram posar para a Agenda Cultural e lançar o repto aos nossos leitores: saia de casa e venha assistir àqueles que são, com toda a certeza, os shows com mais glam da cidade.

  • [saiba mais sobre as Divas da Noite na edição de janeiro da Agenda Cultural de Lisboa]

Os melhores locais da noite drag

  • FINALMENTE CLUB
  • Rua da Palmeira, 38 (ao Príncipe Real)
  • Aberto desde 1976, tornou-se referência da noite lisboeta por ser a meca dos shows de transformismo. Fernando Santos, diretor artístico e intérprete da diva Deborah Krystall, garante-nos ser “um caso único em Portugal, e mesmo raro a nível internacional, por apresentar espetáculos diários, 365 dias por ano”. Para além dos shows profissionais, o palco do Finalmente reserva as noites de segunda-feira para dar Lugar às Novas, iniciativa responsável por descobrir os novos talentos na arte do transformismo. Atribui anualmente o Troféu Internacional de Artes Cénicas, que já distinguiu Herman José e Rossy de Palma, reconhecida atriz espanhola pela sua participação nos filmes de Pedro Almodovar. Assume-se como um espaço GLS – acrónimo de “gay, lésbico e simpatizantes” – onde todos são especialmente bem-vindos.
  •  
  • TRUMPS CLUB
  • Rua da Imprensa Nacional, 104 B (ao Príncipe Real)
  • Garante ser “o melhor clube gay de Lisboa” mas, atenção: o Trumps prima por afirmar-se hetero friendly. Aberto ao público às sextas, sábados e vésperas de feriados, tem duas salas, uma dedicada à música house, outra à pop. Fundada em 1981, esteve para se chamar Frog, mas acabou por resgatar o nome ao famoso clube londrino Tramp. Reza a história que António Variações era uma presença assídua, e ali se terá estreado em palco. As festas temáticas, como a POP University (apelidada já de “melhor festa de Lisboa”, e onde brilham “as meninas da fraternidade Kappa Kappa”, como as nossas convidada Lexa e Becca,  e a dj Filha da Mãe) são pontos altos da programação. Regularmente, passam pelo Trumps renomados dj’s convidados que fazem deste espaço de diversão noturna um dos mais badalados da capital.

[textos de Frederico Bernardino | fotografias de Humberto Mouco]

Formulário de procura