As escolhas de Luís Vieira e Rute Ribeiro

Seis momentos FIMFA a não perder

As escolhas de Luís Vieira e Rute Ribeiro

De 9 a 26 de maio, as mais vibrantes e criativas propostas do universo das marionetas e formas animadas instalam-se em Lisboa. Do Castelo de São Jorge ao Teatro São Luiz, do Museu do Teatro e da Dança ao LU.CA, passando pelo Teatro do Bairro ou pelo D. Maria II, duas dezenas de espetáculos de rua e de palco, encontros com artistas, workshops e uma sessão de cinema marcam a 19.ª edição do FIMFA Lx – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas. A Agenda Cultural esteve à conversa com os diretores artísticos do festival, Luís Vieira e Rute Ribeiro, e ficou a saber quais são os espetáculos absolutamente imperdíveis.

“Sem um parceiro de longos anos como o Teatro Maria Matos e com o São Luiz a comemorar 125 anos, toda esta edição do FIMFA foi um enorme desafio para nós enquanto programadores”. Luís Vieira e Rute Ribeiro, diretores d’ A Tarumba-Teatro de Marionetas, sublinham esta conjuntura para explicar muito daquilo que é a programação desta edição do mais importante festival de marionetas de Lisboa que, quase a comemorar 20 anos, aposta fortemente em espetáculos de rua, sobretudo no Castelo de São Jorge que será palco de “um quase mini-festival” que vai “ter um conjunto de propostas que até aqui nunca foi possível apresentar no festival”.

Outra grande aposta desta edição é toda uma “programação radical”, segundo as palavras da dupla, especialmente reservada para as famílias. É que Lisboa tem agora um teatro para o público infanto-juvenil, o LU.CA – Teatro Luís de Camões, e essa oportunidade não poderia ser perdida.

À margem destes eixos, desafiámos Luís Vieira e Rute Ribeiro a fazer a sempre difícil escolha de seis espetáculos tidos como absolutamente imperdíveis nesta 19.ª edição.

FIMFA Lx19 – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas

★ Vem aí o FIMFA!! ★ #FIMFA Lx19 – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas💥💥💥International Festival of Puppetry and Animated Forms9 a 26 de Maio -9 to 26 May – #LisboaConsulte o programa em * Check out the programme: www.tarumba.ptEspaços de apresentação: CASTELO DE S. JORGE, São Luiz Teatro Municipal , @Teatro Nacional D. Maria II, @LU.CA – Teatro Luís de Camões , Teatro do Bairro, Teatro da Trindade, Teatro Taborda – Teatro da Garagem, @Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, @Museu Nacional do Teatro e da DançaVídeo de / by Flúor#fimfa19 #fimfalx19 #fimfa2019#tarumba #marionetas #puppets #puppetry #puppetfestival #fimfalx #titeres #figurentheater #marionnettes #marioneta #atarumba #festival #Lisbon

Posted by A Tarumba Teatro Marionetas on Monday, 6 May 2019


Hans Christian, you must be an angel

Teatret Gruppe 38 (Dinamarca)
Teatro do Bairro, 10 a 12 de maio

Uma memória de Hans Christian Andersen. O público vai ser recebido por dois mordomos e experienciar toda a magia que 20 personagens criadas pelo autor dinamarquês oferecem à volta de uma mesa. É um espetáculo absolutamente deslumbrante… Certamente, o próprio Hans Christian ficaria fascinado por ele se o pudesse ver.


Vu

Cie Sacékripa (França)
Teatro Taborda, 10 a 12 de maio

É quase um espetáculo de novo circo em miniatura. Sem palavras, com torrões de açúcar, uma máquina de café ou uma chávena de chá, Etienne Manceau vai fazer-nos pensar sobre as nossas vidas, sobre o nosso quotidiano. Uma verdadeira pérola presente na programação do FIMFA.


Portraits in Motion

Volker Gerling (Alemanha)
Teatro do Bairro, 14 e 15 de junho

Gerling é um realizador e diretor de fotografia alemão que se apaixonou pelos flipbooks. A génese deste espetáculo está na sua itinerância pela Alemanha, que o artista percorreu munido de flipbooks com fotografias próprias, que ia mostrando como se fosse uma exposição itinerante. A partir daqui, foi fotografando pessoas e ouvindo histórias, reproduzindo muitas delas neste espetáculo premiado capaz de nos vai fazer rir, mas também comover.


Chambre Noir

Plexus Polaire (França/Noruega)
Teatro do Bairro, 17 a 19 de maio

O trabalho dos Plexus Polaire e da sua criadora Yngvild Aspeli tem sido seguido atentamente por nós nos últimos anos. Neste regresso ao FIMFA, Aspeli usa marionetas de tamanho humano, vídeo e música ao vivo para contar a história de Valerie Jean Solanas, a mulher que tentou matar Andy Warhol. É um trabalho assombroso, um daqueles espetáculos que não se pode mesmo perder por toda a envolvência que cria, capaz de transportar o espectador para os anos áureos da Factory, o estúdio de Warhol em Manhattan.


A Filha do Tambor-Mor

Opereta de Jacques Offenbach (Portugal)
São Luiz Teatro Municipal, 22 a 25 de maio

Esta grande produção do São Luiz dá-nos um particular orgulho, uma vez que A Tarumba assina a cenografia e as marionetas. É a opereta cómica que inaugurou o Teatro há 125 anos, e para ela formámos uma equipa de colaboradores, especialistas nas mais diversas áreas. Em palco vai estar um burro, o Martin, quase em tamanho real; uma caixa de encomendas que é animada por bailarinos; uns quadros italianos de época que ganham vida; e até uma madonna que desce do púlpito, e… é melhor não desvendar mais! Em resumo, uma opereta divertida com contornos bem ”marionetisticos.”

A Filha do Tambor-mor – ensaios cenografia

É de revirar os olhos, a cenografia de A Filha do Tambor-Mor, J. Offenbach #saoluiz125anos!www.teatrosaoluiz.pt/espetaculo/a-filha-do-tambor-mor

Posted by São Luiz Teatro Municipal on Friday, 3 May 2019


Vies de Papier

La Bande Passante (França)
São Luiz Teatro Municipal, 25 e 26 de maio

É uma espécie de teatro de objetos documental. Os autores compraram um álbum de fotografias numa feira da ladra e decidiram ir à procura das histórias das pessoas que ali foram retratadas. O interesse sobre o percurso daquela família, que remonta aos tempos do nazismo, leva-os a um trabalho de arqueologia teatral onde a pesquisa vai confrontar os próprios “investigadores” com as suas vidas pessoais e familiares. É um percurso emocionante, uma fantástica viagem a um mundo de outros que é, inevitavelmente, também o nosso.